Friday, July 31, 2009

O SAGRADO PEDIR


[Traduzido por Ana Spinelli]

(Uma viagem mental e visual puramente pessoal).

Costuma-se dizer que o crescimento espiritual começa quando se pede, e que todo mundo recebe de acordo com sua natureza. Dizer “dai-me”, especialmente em um contexto sagrado, é o mesmo que receber.

Humility is the Symbol of Nobility

Na prática da Doutrina do Santo Daime na Fortaleza, a principal orientação é o lema: “Humildade é o símbolo da nobreza”. Isso conecta o pedir com o ter humildade.

Devo confessar que nem sempre é assim tão simples ou fácil. Na verdade, ainda vivo o desafio de tomar cuidado com o que peço. Em certo sentido, o poder de limpeza do Daime é um projeto de autopercepção que coloca um espelho à nossa frente. Nele nos olhamos. Desapegamos-nos do que é desnecessário. Firmamos nossas aspirações. Aprendemos a ser humildes e cuidadosos com aquilo que pedimos.

Acho que outros fazem algo similar. Estamos todos passando por uma limpeza, um aperfeiçoamento, um crescimento. Mas o objetivo está sempre movendo-se em direção a algo melhor. Aqui, ninguém descansa por muito tempo. Há sempre um Novo Horizonte a alcançar.

Embora eu tenha o dom da comunicação, tem sido um desafio viver entre meus amigos e minha família espirituais, falantes do português. É comum que o abismo idiomático me deixe baratinado, e esse é um motivo importante pelo qual eu sempre acabo recorrendo à arte visual. Com a câmera e o computador, busco formas de expressar a beleza que vejo. E é ótimo que eu adore produzir imagens tanto quanto aprecio falar.

Melhor ainda é ter cenários como esse para fotografar...

Lago Fortaleza

E uma mesa de trabalho como essa…

My Fortaleza Work Station

Uma noite tive a grata surpresa de ser visitado por uma nova amiga falante de inglês. Ela queria saber sobre a “minha história”, e isso me deu a oportunidade única de usar palavras, um monte delas! Ao contar a história, observei minha trajetória até aqui através de minhas lentes de morador da Fortaleza.

Revi minha juventude tão plena de aspirações. Nela, eu procurava formas de me “apresentar”; hoje, isso parece ter sido um jeito inteligente e bem-sucedido, embora um tanto fraudulento, de lidar com a própria imagem. Chama-se “faz-de-conta”. Lembro-me de ter dito, em um momento de desespero: “Por que não posso ser um dom em mim mesmo? Por que não podemos todos ser dons? Por que escondemos a criança interior? Não seria nosso direito de nascença termos uma vida de amor e beleza?”

Como é bom sonhar, não? Entretanto, todo o meu treinamento social ensinou-me que a realidade não funciona assim.

Minha compreensão só começou a mudar durante os meus anos como ativista, passando noites em claro durante todo o verão na antiga floresta de Bald Mountain, no sul do Oregon (estado dos EUA). Ali, pela primeira vez, fui capaz de ser simplesmente eu mesmo, de unir meu amor quase infantil pela natureza, meu desejo espiritual em servir a Rainha da Floresta e meu trabalho político pela proteção da comunidade florestal cheia de vida.

Na floresta, meu trabalho era bem simples: simplesmente estar ali e contar a história. Uma das formas de realiza-lo era caminhar pelos bosques ancestrais de pinheiros imponentes, recitando infinitas variações de uma oração simples do povo Navajo:

Com a beleza à minha frente, eu caminho
Com a beleza atrás de mim, eu caminho
Com a beleza acima de mim, eu caminho
Com a beleza abaixo de mim, eu caminho
Com a beleza dentro de mim, eu caminho
Com a beleza em toda a minha volta, eu caminho


E eu costumava acrescentar:

Toque a Terra e Seja Abençoado

Ela é mesmo linda.
Ela é mesmo linda.
Ela é mesmo linda.
Ela é mesmo linda.


No encantamento da Floresta Ancestral do Pacífico Nordeste, aprendi que o sonho da criança poderia ser uma realidade viva, e que eu poderia compartilhar publicamente quem eu sou.

Acredito que esse encantamento voltou, aqui na Fortaleza. Certamente me sinto abençoado por estar em um lugar tão lindo, com uma comunidade que realmente valoriza a nossa criança interior. Eu recebi o que pedi: caminho na beleza e conto a história. Mas agora passei a fazê-lo não como um ermitão solitário, mas como um membro da comunidade.

Desnecessário dizer que estou empolgado. Há algo nessa criança interior que me faz querer caminhar na beleza, criar arte e brincar visualmente. Essa viagem, na minha imaginação, por vezes é como ser levado no colo por uma poderosa mãe primordial.

The Journey

Nem sempre é fácil caminhar na beleza. Às vezes requer um esforço descomunal, mas eu amo o que faço. Na tradição do Santo Daime, chama-se a isso de “a batalha”. Dizemos que bebemos Daime para trabalhar com força e vigor. O desafio é permanecermos humildes e mantermos um equilíbrio confortável entre desejo e conformação. Como diz o grande hino do Padrinho Sebastião: “Eu não sou Deus, mas tenho uma esperança”.

Ás vezes, é como tentar alcançar as estrelas... e por que não tentar?

Shooting for the Stars

Na Fortaleza, nossa história não está tão relacionada a aventuras espirituais exóticas no coração da mata. Ela trata de como a como a população comum de origem acreana e os recém-chegados de lugares distantes vêm trabalhando para expandir a Doutrina viva do Santo Daime, ao realizarem várias cerimônias, receberem visitantes e construírem uma comunidade. Aqui, os ensinos espirituais se desdobram em um contexto realista, em que as pessoas têm empregos e sustentam famílias com as mesmas aspirações encontradas normalmente. Elas também esperam chegar a uma vida mais saudável, feliz e equilibrada, em harmonia com a natureza.

Felizmente, somos abençoados por trabalhar em conjunto com esses amorosos exemplos:

Mestre Conselheiro Luiz Mendes

Mestre Conselheiro Luiz Mendes

Madrinha Rizelda

Madrinha Rizelda

Saturnino e Luzirene

Saturnino_Luzirene

E, especialmente durante os festivais, um grupo de amigos e agregados.

2008 Encounter with Samúma Branca

A época do Festival no Santo Daime é bastante especial. Os trabalhos são intensos, sérios e extremamente disciplinados. E também há momentos únicos de beleza espontânea, brincadeiras e alegria. Foi quase tudo registrado por nós, ao longo do tempo.



Estamos agora planejando o próximo Encontro para o Novo Horizonte (dezembro a janeiro de 2010), que será o maior festival jamais ocorrido na Fortaleza. Nele honraremos, principalmente, o 70º aniversário do Mestre Conselheiro Luiz Mendes. Serão 10 dias de trabalhos espirituais seguidos de vários dias extras de feitio, ritual em que se faz o Daime.

Eu realmente não compreendo como é que temos uma agenda tão cheia, trabalhamos fisicamente de forma intensa ao mesmo tempo em que limpamos nossa consciência E AINDA conseguimos nos divertir tanto. Para mim, é um mistério.

Como diz o hino do Padrinho Alfredo:

O Mestre é o de Nazaré
E o Mistério é da Amazônia


Sim: purificação, amor, alegria, trabalho, companheirismo, brincadeiras, honestidade e muito mais confluem nos rituais e na vida da Fortaleza. Há seriedade E uma incrível doçura...



Flor das águas
da onde vens, para onde vais
Vou fazer minha limpeza
No coração está meu Pai

A morada do meu Pai
É no coração do mundo
Aonde existe todo amor
E tem um segredo profundo

Este segredo profundo
Está em toda humanidade
Se todos se conhecerem
Aqui dentro da verdade



O caminho interior é pessoal e único de cada indivíduo. Cada pessoa deve encontrar o seu (essa é uma das razões pelas quais não se convidam pessoas para o Daime). É claro: a verdade e a luz podem ser encontradas em todos os lugares, mas eu sempre amei a floresta, e foi nela onde sempre busquei. Abaixo está uma foto que tirei por volta de cinco anos atrás, no Oregon; ela mostra uma peça de altar no parapeito da janela do meu chalé na floresta. Naquela época, antes de me mudar para o Brasil, eu ainda ficava pensando em como seria aqui.


A Light in the Forest

Uma imagem vale por mil palavras, mas mesmo assim não chega perto da realidade. Tudo o que posso dizer, pessoalmente, é que sou grato por toda a luz na floresta. Sou grato por poder contar essa história. Sou grato por estar aqui com essa maravilhosa família e tantos amigos.

Eu recebi o que pedi.



4 comments:

Poema said...

thanks for telling the story. it inspired me to know fortaleza...maybe one day, how knows?
many hugs

Anonymous said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Anonymous said...

I will not approve on it. I think polite post. Expressly the title attracted me to study the unscathed story.

Anonymous said...

Genial brief and this mail helped me alot in my college assignement. Thank you seeking your information.